|
História de Portugal | Entrada de suevos, vândalos e alanos na Península Ibérica | Fim da Hispânia romana | Os suevos constituem um reino no Noroeste da Península Ibérica | Unificação da Península pelo rei visigodo Leovegildo | O rei visigodo Recaredo converte-se ao catolocismo no III concílio de Toledo | Conflitos no seio da nobreza visigoda e deposição do rei Vamba | Invasão muçulmana da Península Ibérica | Primeiras iniciativas militares asturianas, sob a direção de Afonso I | O omíada Abderraman I proclama-se emir do Al-Ândalus | Abderrman III proclama-se califa do Al-Ândalus | Fim do califado de Córdova e formação dos primeiros reinos taifas | Conquista definitiva de Coimbra por Fernando I de castela, sendo o governo da cidade entregue ao maçárabe Sisnando Davides | Nuno Mendes, conde de Portucale, revolta-se contra Garcia, rei da Galiza; derrota e morte do primeiro na Bataha de Pedroso, próximo de Braga | Ocupação de Toledo por Afonso VI de Leão e Castela | Os almorávidas entram na Península Ibérica | Raimundo de Borgonha na Península Ibérica e seu casamento com Urraca, filha de Afonso VI de Leão e Castela, com entrega ao primeiro do governo da Galiza e da região portucalense | O rei muçulmano de Badajoz entrega a Afonso VI as cidades de Santarém, Lisboa e Sintra; o governo das mesmas é dado a Raimundo | Os almoráveis conquistam o reino taifa de Badajoz | Derrota do conde Raimundo e conquista almorávida de Lisboa | Henrique de Borgonha, primo de Raimundo, casa com Teresa, filha bastarda de Afonso VI de Leão e Castela, sendo-lhe entregue, como dote, as regiões a sul do rio Minho, contituídas pelos condados de Portucale e de coimbra. Henrique concede foral à cidade de Guimarães | «Pacto sucessório» entre os condes Henrique e Raimundo; por morte de Afonso VI, o primeiro reconheceria o segundo como rei, recebendo Toledo ou a Galiza | Morte do conde Raimundo | Morte de Afonso VI de Leão e Castela. Ano provável do nascimento de Afonso Henrique | Morte do conde Henrique | Teresa, viúva do conde Henrique, começa a usar o título de «rainha» nos seus documentos | Coimbra é atacada pelos muçulmanos | Fernão Peres de Trava, nobre galego, governa o Porto e Coimbra | Membros das mis poderosas linhagens da nobreza portucalense afastam-se da corte de D. Teresa | Afonso Henriques armado cavaleiro em Zamora | Afonso VII de leão e Castela cerca Guimarães, para que Afonso Henriques lhe preste homenagem como vassalo | 24 de Junho – Batalha de São Mamede | Vitória de Afonso Henriques sobre os partidários de sua mãe e de Fernão Peres de Trava; início do governo afonsino no Condado Portucalense | Afonso VII derrota a tentatia de ocupação pelos portugueses de regiões fronteiriças galegas. Morte de D. Teresa | Afonso Henriques faz de Coimbra o centro da sua ação; início da construção do Mosteiro de Santa Cruz, nesta cidade | Afonso VII intitula-se impreador | História de Portugal | Afonso Henriques tenta ocupar os condados dde Toronho e Límia | Tratado de paz entre Afonso Henriques e Afonso VII, em Tui | Batalha de Ourique. Com esta vitória sobre os mouros, Afonso Henriques passa a intitular-se rei | Tratado de paz de Zamora, entre Afonso Henriques e Afonso VII, na presença de um representante do Papa – o rei de Leão e Castela reconhece Afonso Henriques como rei | O monarca português presta vassalagem ao papa, colocando-se a si e ao reino sob proteção de Roma | Afonso Henriques casa com Mafalda, ou Matilde, filhe de Amadeu III, conde de Moriana, Sabóia | Afonso Henriques conquista Santarém, Lisboa (com o auxílio de cruzados), Sintra, Almada e Palmela | Tentativa falhada de conquista de Alcácer do Sal | Fundação da abadia cistercience de Alcobaça | Conquista de Alcácer do Sal por Afonso Henriques | Afonso Henriques ocupa Tui. Doação do Castelo de Ceras (Tomar) à Ordem do Templo | Doação de povoações a colonos francos, no Centro de Portugal | História de Portugal | Tratado de paz de Celanova, entre Afonso Henriques e fernando II de leão, com restituição de Tui | Afonso Henriques ocupa o território de Límia, na Galiza | Afonso Henriques ocupa Salamanca | Tratado de paz de Pontevedra, entre os reis de Portugal e de leão | Conquista definitiva de Évora por Geraldo Sem Pavor | Afonso Henriques concede foral a Évora | Conquista de Serpa e Juromenha por Geraldo Sem Pavor | Afonso Henriques doa aos Templários um terço das terras que viessem a conquistar no Alentejo | Derrota do rei português quando pretendia conquistar Badajoz e seu aprisionamento por Fernando II de Leão | Concessão régia de forais aos muçulmanos livres de Lisboa e de outras povoações a sul do Tejo | Estabelecimento da Ordem Militar de Santiago em Portugal | Pato de tréguas entre Afonso Henriques e Iusuf I, impreador almóada | Afonso Henriques funda a Ordem Militar de Évora | Bula Manifestis Probatum, pela qual o papa Alexandre III reconhece Afonso Henriques como rei de Portugal | Concessão de forais a Santarém e Lisboa | Ofensiva almóada recupera territórios até à linha do Tejo, com exeção de Évora | Morte de Afonso Henriques e subida ao trono de Sancho I, que já estava associado ao governo do reino desde o «desastre de Badajoz» | Conquista de Silves, com a participação de cruzados do norte da Europa | Yaqub al-Mansur conquista Torres novas, cerca Tomar, recupera Alcácer do Sal e Silves | Guerra entra Sancho I e Afonso IX de Leão: o rei português conquista Tui e Pontevedra (1197) | Novos combates fronteiriços (1198) | Celebração da paz entre Portugal e Leão, com intervenção papal | Conflito de Sancho I com o bispo do Porto | Conflito de Sancho I com o bispo de Coimbra | Fim dos conflitos entre o rei e os bispos do Porto e de Coimbra | Subida ao trono de Afonso II, após a morte do antecessor, e aprovação de leis visando o reforço do poder régio; primeira lei sobre a desamortização, impredindo a compra de bens fundiários pelas ordens religiosas | História de Portugal | Acção de Afonso II contra as perrogativas senhoriais das suas irmãs | Tratado de paz entre Portugal e Leão. Afonso II é excomungado pelo papa. Primeira menção a tabeliães régios | Afonso II é absolvido da excomunhão e do interdito. O papa promulga sentença contra a jurisdição senhorial das irmãs do rei | Conquista definitiva de Alcácer do Sal, com a participação de cruzados | Conflito entre Afonso II e o bisbo de Lisboa. Reinício do conflito entre o rei e as infantas suas irmãs, junto da Santa Sé | Primeiras inquirições gerais. Conflito de Afonso II com o arcebispo de Braga | Nova excomunhão do monarca | Morte de Afonso II e subida ao trono de Sancho II | Concórdia com as infantas e com o arcebispo de Braga | Tentativa falhada de conquista de Elvas | Conflitos no âmbito da corte; o bispo do Porto queixa-se do rei ao papa | Ocupação de Elvas e de Juromenha | Ano provável da ida do infante Afonso, futuro Afonso III, para França | Início da fase final da reconquista portuguesa, com a tomada de Moura e Serpa | Definitiva incorpporação de Beja no território português | Conquista definitiva de Aljustrel | Conflitos do rei com os bispos da Guarda, do Porto e de Braga | Conquista definitiva de Mértola | Conquista definitiva de Ayamonte e de Cacela. Casamento do infante Afonso com Matilde de Boulogne, tornande-se, por esta via, conde de Boulogne | Sucessivas conquistas de Alvor, Tavira e Paderne | História de Portugal | Sancho II casa com Mécia Lopes de Haro | Os bispos portugueses queixam-se ao papa da desordem existente no reino | O conde de Boulogne recebe autorização para ir a Santiago de Compostela em peregrinação | Afonso, conde de Boulogne, denuncia ao papa a relação de consanguinidade entre o seu irmão Sancho II e Mécia Lopes de Haro | O papa ordena a separação entre Sancho II e sua mulher. Bula pontifícia responsabilizando o rei pela desordem existente em Portugal | No seguimento das acusações dos bispos portugueses no Concílio de Lyon, o papa declara Sancho II rex inutilis | Lide de Gaia, com vitória dos partidários de Sancho II (Julho) | Nova bula, pela qual Inocêncio IV depõe Sancho II | Celebra-se em Paris um pacto entre os bispos portugueses, alguns nobres e Afonso, conde de Boulogne (Setembro) | Afonso chega a Portugal nos últimos dias do ano | Guerra civil entre os apoiantes de Sancho II e os de Afonso, conde de Boulogne | O infante Afonso de Castela, futuro Afonso X, intervém na guerra civil portuguesa, apoiando Sancho II | Com o regresso do primeiro reino vizinho, Sancho II acompanha-o, exilando-se em Toledo | Sancho II morre em Toledo. Subida ao trono de Afonso III | Conquista de Faro, Albufeira, Porches e Silves – fim da reconquista portuguesa | Guerra entre Portugal e Castela pela posse de território do Algarve | Tratado de paz entre Portugal e Castela. Casamento de Afonso III com Beatriz, filha de Afonso X de Castela. Crise agrícola e medidas para a enfrentar – lei de almotaçaria (visando fixar os preços), lei contra a exporrtação de cereais e metais preciosos, medidas de organização administrativa | Cortes de Leiria, as primeiras em que esá documentada a presença de representantes dos concelhos | A condessa Matilde de Boulogne protesta contra o casamento de Afonso II com Beatriz de Castela | O papa Alexandre IV lança o interdito sobre o reino (mantém-se até 1262), devido à bigamia de Afonso III | O rei e a sua corte permanecem mais tempo em Lisboa | Inquirições gerais. Morte de Matilde, condessa de Boulogne | Concessão régia de vários privilégios a feiras francas, promovendo o comércio interno | Afonso III desvaloriza a moeda em cerca de 25% | Acordo com Castela sobre a posse do Algarve | O papa legitima o casamento de Afonso III com Beatriz de Castela | Tratado de Badajoz, entre Portugal e Castela, pelo qual este reino renuncia em difinitivo à posse do Algarve | Em Roma os bispos portugueses queixam-se de Afonso III ao papa e lançam o interdito sobre o reino | Representantes do rei dirigem-se ao papa, conseguindo o levantamento do interdito | Novas cartas de privilégio concedidas a feiras | O papa Gregório X publica uma bula sobre as questões do rei com o clero | Cortes de Santarém, para resolver o conflito com a Igreja (1273-1274) | Bula papal obrigando à reparação dos agravos sofridos pela Igreja portuguesa, sob pena de interdito do reino | Efectivamente lançado, o interdito perdurará até 1290 | O português Pedro Hispano é papa com o nome de João XXI | Afonso III jura submissão à Santa Sé, sendo-lhe levantada a excomunhão | Morte de Afonso III, sucedendo-lhe D. Dinis, que já governava desde o ano anterior | Conflito armado entre D. Dinis e o seu irmão, o infante Afonso | Concordata entre os bispos e o rei, sancionada pelo papa em 1289, depois de alterada. Casamento de D. Dinis com Isabel de Aragão | O rei lança inquirições gerais | Previlégios régios a feiras francas | Cortes de Lisboa, com a nobreza a protestar contra a realização de inquirições | Proibição régia da compra de bens de raiz pela Igreja | Guerra entre o rei e o seu irmão, o infante Afonso | Cortes de Guimarães – novos protestos da nobreza contra inquirições | O rei lança novas inquiriçoes gerais | O para autoriza a autonomização da Ordem de Santiago, em Portugal | Sentenças régias sobre aas inquirições gerais de 1288 | História de Portugal | O papa acede ao pedido de D. Dinis para a fundação de uma universidade em Lisboa | O rei de França concede privilégios a mercadores portugueses | Cortes de Coimbra: protestos senhorais contra as sentenças régias sobre as inquirições gerais | Proibição régia de as ordens religiosas herdarem os bens dos seus membros | Criação de uma Bolsa de mercadoresm, com o apoio régio | Liberdade de tráfego entre Portugal e a Inglaterra | D. Dinis apoia os adversários do rei de Castela e ocupa Salamanca, Tordesilhas e Simancas | A chacelaria régia adopta a língua vulgar, em detrimento do latim | Tratado de Alcanizes, fixando a fronteira entre Portugal e Castela | Criação régia do primeiro condado português (Barcelos), em favor de João Afonso de Albuquerque | Acordo entre D. Dinis e o seu irmão, o infante Afonso | Criação dos corpos de besteiros do conto, a fornecer pelos concelhos | Realização de inquirições gerais | Concessão de privilégios a feiras francas | D. Dinis desloca-se a Castela para arbritrar o conflito entre este reino e Aragão e entre o rei castelhano e os pretendentes ao trono (acordos de Torrellas e Tarazona) | Proibição régia de os nobres armarem cavaleiros a vilãos dos concelhos, reservando-se esse direito de monarca | Nomeação do primeiro almirante português, Nuno Fernandes Cogominho | Tratado de comércio com a Inglaterra | Tranferência da Universidade de Lisboa para Coimbra | Referências a fomes e pestes em Portugal. Filipe, o Belo, concede privilégios a mercadores portugueses em Harfleur | Início do conflito entre D. Dinis e os bispos de Lisboa e do Porto | O genovês Manoel Pessagno é nomeado para o comando da frota real | Os bispos de Lisboa e do Porto exilam-se em Avinhão | Criação da Ordem de Cristo, incorporando os bens dos Templários. Início da guerra civil entre D. Dinis e o seu filho e sucessor, o infante Afonso | Tréguas entre o rei e o infante Afonso | Recomeço da guerra civil | Celebração da paz entre D. Dinis e o filho Afonso, com cedências do rei às pretensões deste | Morte de D. Dinis e subida ao trono de Afonso IV | Instituição dos juízes de fora | Afonso IV declara ilícitas as honras constituídas depois de 1288 | Inquirições em Trás-os-Montes | Guerra com Castela | Armada portuguesa de reconhecimento às ilhas Canárias | Concessões de privilégios a mercadores estrangeiros | Tratado de paz com Castela, em Sevilha, com intervenção papal. Inquirição na cidade do Porto | Lei sobre o consumo (Pragmática). Desvalorização da moeda. Afonso IV participa na Batalha do Salado, juntamente com Afonso XI de Castela, contra os muçulmanos do reino de Granada e os merínidas de Marrocos que haviam invadido a Península Ibérica | Inquirições no Entre Douro e Minho | Conflito entre Afonso IV e o bispo do Porto | Peste Negra em Portugal | Legislação para fazer face à crise laboral e social | Tratado comercial com a Inglaterra | Execução de Inês de Castro e guerra civil entre Afonso IV e o seu filho e sucessor, D. Pedro | Tratado de canaveses, pondo fim ao conflito e associando o infante ao governo do reino | Morte de Afonso IV e subida ao trono de Pedro I | Aliança entre Pedro I, de Portugal, e Pedro, o Cruel, de Castela | Surto de peste | João, filho bastardo do rei D. Pedro e futuro João I, é nomeado mestre da Ordem militar de Avis, com sete anos de idade | Nova epidemia de peste | Aliança entre Pedro I de Portugal e Henrique de Trastâmara | Morte de Pedro I e subida ao trono de D. Fernando | O duque de Lencastre propõe uma aliança ao rei português | Tratado de aliança entre D. Fernando e o reino islâmico de Granada | História de Portugal | Desvalorização da moeda | Primeira Guerra Fernandina contra Castela: D. Fernando invade a Galiza | Tratado de Alcoutim, firmando a paz entre Portugal e Castela. Casamento de D. Fernando com Leonor Teles | Revoltas populares em Lisboa | Tratado de Tagilde, entre D. Fernando e o duque de Lencastre | Segunda Guerra Fernandina: Henrique II de Castela invade Portugal | Tratado de paz com Castela. Tratado de Westminster, entre portugal e a Inglaterra | Tumultos e revoltas urbanas por todo o reino | Tratado de aliança entre portugal e Castela | Legislação sobre trabalho e aproveitamento agrícola («Lei das Sesmarias») | Medidas régias de apoio à marinha mercante | D. Fernando apoia o papa de Avinhão, Clemente VII | D. Fernando apoia o papa de Roma, Urbano VI | Terceira Guerra Fernandina contra Castela | D. Fernando volta a apoiar o papa de Avinhão | Tratado de Salvaterra de Magos, entre Portugal e Castela: estabelece a paz entre os dois reinos e o casamento de João I de Castela com a infanta Beatriz, filhas di rei de Portugal. Morte de D. Fernando e regência de Leonor Teles (Outubro-Dezembro) | Revolta em Lisboa, contra a regente | Invasão de Portugal pelo rei de castela. João, filho bastardo de rei Pedro I e mestre da Ordem de Avis, é aclamado regedor e defensor do reino | João I de Castela cerca Lisboa | Epidemia de peste | Batalha de Atoleiros, entre portugueses e castelhanos | Cortes de Coimbra | João, mestre de Avis, é aclamado rei de Portugal, dando início à Segunda Dinastia | Batalha de Aljubarrota (14 de Agosto): vitória portuguesa sobre os castelhanos | Batalhas de Trancoso e Valverde | Tratado de Windsor, entre Portugal e a Inglaterra. Desvalorização da Moeda | João I casa com Filipa, filha do duque de Lencastre. Tréguas com Catela | Novas tréguas entre Portugal e Castela | Guerra com Castela | Casamento de Afonso, filho bastardo do rei João I, conde de barcelos e futuro primeiro duque de Bragança, com Beatriz, filha de Nuno Álvares Pereira (origem do que virá a ser a Casa de Bragança) | Tratado de paz entre Portugal e Castela | Conquista de Ceuta, assinalando o início da expansão portuguesa | Descoberta do arquipélago da Madeira | O infante Henrique é nomeado administrador apostólico da Ordem de Cristo | Calendarização Portuguesa | Início da conolização da Madeira | Descoberta de ilhas do arquipélago dos Açores | Morte de João I e subida ao trono de D. Duarte | Doação régia da Madeira ao infante D. Henrique | Promulgação da Lei Mental. Gil Eanes passa o cabo Bojador | Expedição para a conquista de Tânger | Morte de D. Duarte e subida ao trono de Afonso V, sendo regente a rainha D. Leonor | Cortes de Torres Novas decidem associar à regencia o infante D. Pedro, tio de Afonso V | Cortes de lisboa entregam a regência, em exclusivo, ao infante D. Pedro. Início da colonização dos Açores | Constituição da Casa Ducal de Bragança | Morte do infante Fernando, carivo em Fez. Concessão ao infante D. Henrique do monopólio da nevegação, guerra e comércio para além do cabo Bojador | Descoberta de Cabo Verde. Viagem à Costa da Guiné | Publicação das Ordenações Afonsinas. Maioridade de Afonso V | Agravamento da tensões na corte entre partidários e adversários do infante D. Pedro, sendo esta afastado do governo do reino | Batalha de Alfarrobeira, com a derrota e a morte do infante D. Pedro | Bula do papa Nicolau V concedendo aos reis de Portugal a propriedade exclusiva das terras e mares já conquistados ou a conquistar | Conquista de Alcácer Ceguer | Morte de o infante D. Henrique | Conquista de Arzila e ocupação de Tânger | Descoberta das ilhas de Fernão Pó, Sã Tomé, Príncipe e Ano Bom | Descoberta da Mina | O príncipe D. João , futuro João II, recebe a regência do reino quando Afonso V se desloca a Castela | Batalha de Toro. Afonso V parte para França, ficando o príncipe D. João a dirigir o reino | Afonso V regressa a Portugal | Morte de Afonso V e subida ao trono de D. João II | Bartolomeu Dias dobra o cabo da Boa Esperança | História de Portugal | Chegada de Afonso de paiva e Pêro da Covilhã a Adém | Edição do Tratado de Confissom, primeiro livro impresso em Portugal | Cortes de Évora | Criação do Hospital de Todos-os-Santos em Lisboa | Expulsão dos judeus de Espanha, alguns dos quais procuram abrigo em Portugal | Descoberta da península de Lavrador por joão Fernandes e Pêro de Bercelos | Chegada de Cristóvão Colombo às Antilhas | Negociações entre Portugal e Espanha sobre o domínio dos mares, em Madrid | Tratado de Tordesilhas entre Portugal e Castela | Morte de D. João II e subida ao trono de D. Manuel I. Cortes de Montemor-o-Novo | Explusão dos judeus e mouros que haviam recusado o baptismo | Baptismo forçado dos judeus maiores de 25 anos, e separação dos filhos menores aos judeus não convertidos | Cortes de Lisboa. Chegada de Vasco da Gama a Celecute (Índia) | Fundação da Misericórdia de Lisboa pela rainha D. Leonor | Cortes de Lisboa. Instituição das Misericórdias do Porto e Évora | Transferência da feitoria real portuguesa de Bruges para Antuérpia | Chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil | Chegada de Pedro Álvares Cabral a Cananor (Índia) | Carta de Pêro Vaz de Caminha, sobre a Terra de Vera Cruz, dirigida ao rei D. Manuel I | Descoberta da Terra nova por Gaspar Corte-Real | Descoberta das ilhas de Ascenção e Santa Helena por João da Nova | Introdução da cultura do milho em Portugal | Segunda viagem de Vasco da gama à Índia: conquista de Calecute e estabelecimento de uma feitoria em Cochim | Criação de uma feitoria em Moçambique | Tentativas de comércio e corso franceses no Brasil | Conquista de Quíloa | O resgate do ouro da costa africana passa a fazer-se através da feitoria de Sofala | Construção da fortaleza de Santa Cruz do Cabo de Guer | Levantamento antijudaico em Lisboa | Cerco de Arzila | Conquista de Safim | Primeiras referências ao cultivo do arroz em Portugal (Santarém) | Conquista de Goa por Afonso de Albuquerque | Conquista de Malaca por Afonso de Albuquerque e estabelecimento de uma fortaleza no local | Primeira expedição oficial portuguesa ao Pacífico, com partida de Malaca | Descoberta da ilha de Ternate, no arquipélago das Molucas, por Francisco Serrão | Primeira expedição portuguesa ao reino de Pegu | Viagem de Malaca à China por Jorge Álvares | Conquista de Azamor por Jaime Bragança | Edição completa das Ordenações Manuelinas | Conquista de Mazagão | Padronização da medidas do reino, a partir das seguidas em Lisboa | Conquista de Ormuz por Afonso de Albuquerque e construção de uma fortaleza no local | Martinho Lutero prega as 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg | Chegada dos portugueses a Cantão | Embaixada portuguesa à China, com Tomé Pires como embaixador | Fundação de uma fortaleza-feitoria em Columbo (Ceilão), por Lopo Soares de Albergaria | Ordenações da Índia | Fernão de Magalhães atravessa o estreito e entre no Pacífico | Embaixada de D. Rodrigo de Lima à Etiópia | Morte de D. Manuel I e subida ao trono de D. João III | Edição da versão definitiva das Ordenações Manuelinas | Estabelecimento de uma carreira regular de comércio entre Cochim e a China | Imposição do monopólio português do comércio do cravo | Cortes de Torres Novas | Criação da casa das Rainhas | «Numeramento», pela primeira vez, da população portuguesa | Tratado de Saragoça, entre Carlos V e D. João III, sobre a posse das ilhas das Molucas | Bula Cum ad nihil magis, autorizando o estabelicimento da Inquisição em Portugal | Início da cultura do açúcar no Brasil | Criação da Mesa de Consciência e Ordens | Início da reorganização administrativa e judicial do reino | Adopção do sistema de capitanias para o governo e povoamento do Brasil | Cortes de Évora | Bula de estabelecimento da Inquisição em Portugal | Gramática da Lingoagem Portuguesa de Fernão de Oliveira | Transferência da universidade para Coimbra | Viagens de Fernão Mentes Pinto | Início da actividade do Santo Ofício em Lisboa e nomeação do cardeal D. Henrique como inquisidor-mor | Primeiros autos-de-fé | Exploração do litoral africano do mar Vermelho pela expedição de Estêvão da Gama | Perda de Santa Cruz do Cabo de Guer | Abondono de Safim e Azamor | Exploração da Costa da Califórnia por João Rodrigues Cabrilho | Chegada dos portugueses ao Japão | Fundação das primeiras misericórdias no Brasil | História de Portugal | Cortes de Almeirim | Concílio de Trento | Primeiro rol de livros proibidos pelo Santo Ofício | Fundação régia do Colégio das Artes em Coimbra | Encerramento da feitoria da Flandres | Abandono de Alcácer Ceguer | Primeiros contactos com Macau | Estabelecimento de uma feitoria em Sanchuang | Incorporação na Coroa dos mestrados de Santiago e Avis | Ocupação francesa do Rio de Janeiro | Morte de D. João III e enício da regência de D. Catarina de Áustria | Instalação dos portugueses em Macau | Conquista da França Antárctica (ilhéu da baía de Guanabara, no Brasil) | Assalto a Damão com expulsão dos mercenários etiópicos | Início da gradual difusão dos estatutos da pureza de sangue nas instituições portuguesas | Primeira edição do mais antigo mapa de Portugal de Fernão Álvares Seco | Cortes de Lisboa. Renúncia à regência de D. Catarina e início da regência do cardeal D. Henrique | Promulgação dos decretos do Concílio de Trento como lei do reino | Ataques de corsários franceses e rocheleses ao Funchal | Combate e derrota de franceses fixados no Brasil | Maioridade de D. Sebastião, que assume o governo | Abertura de Nagasáqui (Japão) ao comércio português | Fim do monopólio da Coroa no comércio com o Oriente, salvo nas remessas de prata e cobre | Divisão dos territórios do Oriente em duas áreas, sob a autoridade, respectivamente, do vice-rei e de um governador | Batalha de Lepanto, assinalando o fim da ameaça marítima turca para a Europa | Publicação de Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões | Instituição do monopólio da venda de sal a favor da Coroa | Ataques de corsários franceses e rocheleses à ilha de Santa Maria | Expedição e derrota em Alcácer Quibir, com a morte do rei D. Sebastião | Aclamação régia do cardeal D. Henrique | Cortes de Lisboa | Cortes de Almeirim-Santarém | Morte do cardeal D. Henrique | Aclamação régia de D. António, prior do Crato, em Santarém. Invasão de Portugal pelo exército espanhol | Entrada de Filipe II de Espanha em Portugal | Aclamação régia de Filipe I de Portugal nas Cortes de Tomar, comprometendo-se o rei a respeitar o princípio da monarquia dualista | Rebelião açoriana contra o domínio espanhol | Criação do Conselho de Portugal | Suspensão das alfândegas fronteiriças com Castela | Juramento do infante D. Filipe como herdeiro do Reino de Portugal nas Cortes de Lisboa | Regresso de D. Filipe I a Madrid, delegando o governo de Portugal no cardeal-arquiduque Alberto de Áustria, seu sobrinho | Proibição do comércio com a Holanda | Ruptura das relações diplomáticas e proibição do comércio com a Inglaterra | Ataques à costa do Algarve por Francis Drake, sendo tomada a vila de Sagres | Derrota da «Invencível Armada» | Ataques ingleses ao Brasil | Auxílio naval dos ingleses a D. António, prior do Crato, com ataque falhado a Lisboa | Criação do Concelho da Fazenda | Regresso a Castela de Alberto de Áustria, tendo sido substituído pelos governadores D. Miguel de castro, D. João da Silva, D. Francisco de Mascarenhas, D. Duarte de Castelo Branco e Miguel de Moura | Revolta popular em Lisboa | Tentativa holandesa de conquista de S. Jorge da Mina | Morte de D. Filipe I e início do reinado de D. Filipe II | Restabelecimento do monopólio régio sobre o comércio na Ásia | Cerco da barra de Lisboa pelos ingleses | Publicação das Ordenações Filipinas | Início do domínio português no Ceará, com a expedição de Pêro Coelho de Sousa | Criação do Conselho da Índia | Ataque dos holandeses à fortaleza de Moçambique | Início dos ataques holandeses a Macau | Perdão geral aos cristãos-novos | Conquista holandesa da ilha de Amboíno | Instalação da Companhia Holandesa das Índias Orientais nas ilhas das Molucas | Conquista de Ceilão pelos holandeses | Estabelecimento da primeira feitoria holandesa no Japão | Conquista do Pegu por Filipe Brito | Conquista definitiva do Maranhão aos franceses | Expulsão dos portugueses do Japão pelos holandeses | Assalto moura à ilha de Porto Santo, fazendo cativa quase toda a população | Juramento do infante de Espanha como herdeiro do trono português nas Cortes de Lisboa | Morte de D. Filipe II e subida ao trono de D. Filipe III | Formação do estado do Maranhão | Início das viagens dos bandeirantes no Brasil | Conquista de Ormuz pelos ingleses, aliados aos persas, que ficarão com o domínio da cidade | Tentativa holandesa de conquista de Macau | Ataques holandeses à costa portuguesa | Expedição pelo rio Ankobra, a pertir de Axém; fundação de um forte em Duma e início da exploração aurífera no local | Motim anticastelhano em Lisboa | Conquista da Baía pelos holandeses | História de Portugal | Cerco holandês, infrutífero, à baía de Angola | Segunda tentativa holandesa de conquista de S. Joge da Mina | Derrota do ataque holandês a Espírito Santo | Reconquista portuguesa da Baía | Ocupação e fortificação da ilha de Palma, a sul de Cabo Verde, pelos holandeses | Motins em Santarém e no Porto | Conquista de Olinda e Recife pelos holandeses | Batalha de Abrolho entre os habitantes de pernambuco e os holandeses | As Actas das Cortes de Lamego | Luta contra os holandeses em Pernambuco | Conquista de Paraíba pelos holandeses | Tumultos populares no Porto | Nomeação da duquesa de Mântua para vice-rainha de Portugal | Motins generalizados no reino | Alterações de Évora e motins no Sul | Motins dos pescadores de Lisboa | Conquista da fortaleza de S. Jorge da Mina pelos holandeses | Tomada de Arguim pelos holandeses | Ataque holandês fracassado à cidade de Baía | Ocupação da capitania do Ceará pelos holandeses | Armada para a restauração de Pernambuco | Reuniões preparatórias da conjura contra o governo espanhol | Conquista holandesa das fortalezas de Batacolau e Galé (Ceilão) | Restauração da independência do Reino de Portugal e início do reinado de D. João IV (dinastia de Bragança) | Assento feito em cortes pelos três estados dos Reinos de Portugal, da aclamação, restituição e juramento dos mesmos Reinos | Conspiração contra D. João IV | Tratado de aliança com a França | Tratado de aliança com os Estados Gerais das Províncias Unidas | Tratado de aliança com a Suécia | Conquista holandesa de Sergipe, Maranhão, ilha de S. Tomé e Angola | Rendição de Malaca aos holandeses | Conquista de Luanda pelos holandeses | Tratado de paz anglo-luso | Criação do Conselho Ultramarino | Reforma do Conselho da Fazenda | Abolição dos monopólios reais na índia e na Guiné, salvo o da canela | Conquista holandesa do forte de Axém | Ataque espanhol ao Algarve | Revolta anti-holandesa no Maranhão | Batalha no Montijo | Cerco de Elvas | Insurreição de Pernanbuco contra os holandeses | Batalha do monte das Tabocas, com a vitória pernambucana | Conquista de várias zonas brasileiras em poder dos holandeses (Sergipe, Rio de S. Francisco, Porto Calvo, Napareth) | Lutas no Brasil contra os holandeses | Primeira batalha nos montes Guararapes, com a derrota do general holandês Von Schoppe | Reconquista de Angola e S. Tomé | Assinatura do Tratado de Vestefália, com exlusão de Poertugal das negociações | Cortes de Tomar | Segunda batalha nos montes Guararapes, com derrota total dos holandeses | Conquista holandesa de Calaturé (fortaleza de Cailão) | Reconquista de Pernambuco aos holandeses | Constituição da Casa do Infantado | Tratado de Westminster, celebrando a paz e a aliança entre Portugal e a Inglaterra | Tratado de capitulação dos holandeses residentes no Brasil | Morte de D. João IV e início da regência de D. Luísa de Gusmão | Estado de guerra entre Holanda e Portugal | Rendição de Olivença | Cerco de Badajoz | Conquista holandesa das últimas praças de Ceilão | Batalha das linhas de Elvas | Paz luso-holandesa | Bombaim e Tânger são entregues à Inglaterra, como dote de D. Catarina, noiva de Carlos II | Golpe de Estado para pôr fim à regência de D. Luísa de Gusmão e entregar o governo a D. Afonso VI | Nomeação do conde de Castelo Melhor como gentil-homem da câmara do rei e, em seguida, escrivão da puridade | Conquista de Évora e Alcácer do Sal por D. João de Áustria | Vitória do Ameixial | Conquista e incêndio de Cochim pelos holandeses | Batalha de Castelo Rodrigo | Batalha de Montes Claros | Afastamento forçado do paço do conde de Castelo Melhor e do secretário António de Saousa de Macedo, por pressão dos partidários do infante D. Pedro | O Manifesto do infante D. Pedro de 1667 | Tratado de aliança com a França contra Carlos II de Espanha | Abdicação de D. Afonso VI e início da regência de D. Pedro | Paz entre portugal e Espanha (Tratado de Madrid) | Desterro de D. Afonso VI na ilha Terceira | Tratado de aliança e comércio com a Holanda | Início da exploração mineira na capitania do Espírito Santo, dando origem a Minas Gerais | Conspiração destinada a repor no trono D. Afonso VI | A ilha da Santa Helena passa definitivamento para a posse da Inglaterra | Fundação da Colónia do Sacramento | Incremento da exportação de vinho do Porto para Inglaterra | Morte de D. Afonso VI e início do reinado de D. Pedro II | Descoberta de ouro no rio da Casca e ouro Preto (Brasil) | Última reunião das Cortes Gerais dos Três Estados antes do século XIX | Tentativa francesa de instalação em Bissau | Aliança entre D. Pedro II e Filipe IV de Espanha | História de Portugal | Depois de, no ano anterior, ter reconhecido o pretendente Filipe de Bourbon, Portugal reconhece, com a Inglaterra e a Alemanha, as suas pretensões de Carlos de Áustria ao trono espanhol | Tratado militar de Methuen entre Portugal e a Inglaterra | Tratado comercial de Methuen | Envolvimento de Portugal na Guerra de Sucessão de Espanha | Morte de D. Pedro Ii e início do reinado de D. João V | Introdução da cultura do café em Cabo Verde | Cerco ao Rio de Janeiro pelo corsário francês Duclerc | Início da «Guerra dos mascates» (guerra civil) em Pernambuco | Saque e incêncio do Rio de Janeiro pelo corsário francês Duguay-Trouin | Saque da ilha de Santiago (Cabo Verde) por uma armada francesa | Assinatura de armistício com a França no Congresso de Utreque | Assinatura de armistício com a Espanha | Criação do Patriarcado de Lisboa pelo papa, a pedido de D. João V | Construção do Convento de Mafra | Surto manufacteiro | Aliança anglo-lusa relativa à Índia | Descoberta de grandes jazidas de diamentes em Cerro Frio (Brasil) | Introdução do café no Brasil | Instalação da primeira loja maçónia em Lisboa | Descoberta de diamantes na Baía | Descoberta de jazidas de ouro em Mato Grosso | Reorganização das secretarias de Estado dos Negócios Interiores do reino; dos Negócios Estrangeiros e da Guerra; da Marinha e Domínios Ultramarinos | Ataque espanhol à Colónia do Sacramento | Tratado de paz entre Portugal e Espanha | Fundação do colégio da Patriarcal | Autos-de-fé em que foram sentenciados, pela Inquisição, os primeiros maçons radicados no reino | Quarela do «sigilismo» | Decisão do Conselho Ultramarino de colonizar Santa Catarina (Brasil) | Concessão papal do título de «Fidelíssimo» a D. João V | Criação da capitania de Goiás (Brasil) | Testamento Político, de D. Luís da Cunha | Tratado de Madrid, ou dos limites, entre as possessões portuguesas e espanholas na América do Sul | Morte de D. João V e início do reinado de D. José | Nomeação de Sebastião José de Carvalho e Melo como secretário dos Negócios Estrangeiros | Reformas Pombalinas | Separação de Moçambique do estado da índia e criação da capitania-geral de Moçambique | Terramoto de Lisboa | Incentivo à colonização na zona da foz do Amazonas | Sebastião José de Carvalho e melo assume a chefia dos Negócios do Reino | Atentado contra D. José | Expulsão de Portugal da Companhia de Jesus | Confisco dos bens do duque de Aveiro, dos Távora, dos condes de Atouguia e da Companhia de Jesus | Concessão do título de conde de Oeiras e Sebastião José de carvalho e Melo | Introdução da batata em Portugal | Fundação do Real Colégio dos Nobres | Criação do Erário Régio | Assinatura do pacto de família entre membros da família Bourbon | Recusa de D. José em assinar um tratado de aliança com a França e a Espanha | Invasão de Portugal pelas tropas espanholas, na sequência da assinatura do pacto de família | Tratado de paz luso-espanhol | A sede do Governo-Geral do Brasil passa para o Rio de Janeiro | Instruções para a educação do príncipe D. José | Abertura do Real Colégio dos Nobres | Início da exportação do algodão brasileiro para Inglaterra | Fundação da Imprensa Régia | Instituição da Real Mesa Censória | Abandono das praças de Azamor e Mazagão | Concessão do título de marquês de Pombal ao conde de Oeiras | Termo da distinção entre «cristãos-novos» e «cristãos-velhos» | Declaração de Independência das Treze Colónias | Morte de D. José e subida ao trono de D. Maria I | Promulgação de medidas políticas de espírito contrário à governação anterior («Viradeira») | Exoneração e desterro do marquês de Pombal | Queda definitiva da Colónia do Sacramento | Assinatura do Tratado do Pardo | Adesão de Portugal à Liga dos Neutros | Tratado de aliança entre D. Maria I e Catarina II da Rússia | Reconhecimento da independência dos Estado unidos e assinatura de um tratado de amizade | Assinatura de tratado com a Rússia | Início da Revolução Francesa | Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão | Criação das primeiras escolas femininas em Lisboa | Governação efectiva do príncipe D. João, depois de constatada a demência de D. Maria I | Tratado luso-espanhol de auxílio mútuo | Assinatura de cláusulas de protecção adicionais entre Portugal e a Inglaterra | Tratado de Basileia entre a França e a Espanha, excluíndo Portugal das negociações | Regência oficial de D. João VI | Guerra das Laranjas e tomada de Olivença e Juromenha pelos espanhóis | História de Portugal | Assinatura de acordos de paz com a Espanha e a França | Recenseamento geral da população (2 931 930 habitantes apurados) | Publicação do Código Civil napoleónico | Napoleão é coroado «Imperador dos Franceses» | Chegada de Junot a Lisboa como embaixador, com mebnsagem de aliança para D. João | Pelo Tratado de Fontainebleau, Napoleão e o rei de Espanha decidem a partilha de Portugal | A família real portuguesa e o Governo partem para o Brasil | O exército francês, comandado pelo gerenal Junot, ocupa Lisboa | Carta régia abrindo os portos brasileiros ao comércio com as nações amigas | Portugal passa a ser governado directamente por Junot em nome de Napoleão | Revoltas antifrancesas na província | Exército inglês, sob comando do futuro duque de Wellington, desembarca perto da Figueira da Foz | Batalha do Vimeiro | Batalha de Roliça - Junot retira de Portugal | Segunda invasão francesa, sob a direcção do general Soult, a partir da Galiza | Soult ocupa o Porto | Portugal e a Inglaterra assinam tratados de Comércio e de Aliança | Terceira invasão francesa, sob o comando do marechal Massena, pela Beira Alta | Batalha do Buçaco | Exército francês detido pelas fortificações das linhas de Torres Vedras | Massena retira-se de Portugal | O exército francês é derrotado por Wellington na batalha de Vitória e retira-se de Espanha | Paz geral na Europa, depois da derrota de Napoleão na Batalha de Waterloo | D. João VI cria o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves | O exército português do Brasil ocupa Montevideu, no actual Urugai | Revolta republicana em Pernambuco, Brasil | O tenente-general Gomes Freire de Andrade é executado por conspirar contra o governo | Revolução constitucional em Espanha | Levantamento de tropas no Porto, reclamando uma constituição para Portugal | Levantamento idêntico ao do Porto em Lisboa | Primeiras eleições modernas em Portugal | Início do período «vintista» do liberalismo | Manifesto da Nação Portuguesa aos Soberanos e Povos da Europa | Primeira reunião das Cortes Constituintes em Lisboa | Bases da Constituição Política da Monarquia Portuguesa | O rei D. João VI regressa a Lisboa | Criado o Banco de Lisboa | O príncipe real D. Pedro proclama a independência do reino do Brasil | D. João VI jura a nova Constituição portuguesa | O conde de Amarante inicia revolta militar em Trás-os-Montes contra o regime constitucional | Exército francês entra em Espanha para restaurar a monarquia absoluta | Golpe militar comandado pelo infante D. Miguel restaura a monarquia absoluta em Portugal («Vila-Francada») | Fim do «vintismo» | D. João VI ordena o exílio do infante D. Miguel, depois de este tentar mais um golpe de Estado («Abrilada») | Portugal reconhece a independência do Brasil | O imperador do Brasil, D. Pedro, é aclamado rei de Portugal, outorga a Portugal uma Carta Constitucional e abdica a favor da sua filha, a princesa D. Maria da Glória (D. Maria II), que deverá casar com o seu tio D. Miguel | Revoltas militares liberais no Norte do país | Triunfo do «miguelismo» | Batalha de Vila da Praia assegura domínio liberal sobre os Açores | D. Pedro assume a regência em nome da sua filha D. Maria II e desembarca em Portugal à frente de um exército, ocupando o Porto | Guerra civil entre liberais e miguelistas | Mouzinho da Silveira, ministro do governo liberal da Terceira, decreta grandes reformas administrativas, judiciais e fiscais, extingue o dízimo pago ao clero e reforma os forais: o «fim do Portugal velho» | Uma expedição liberal sai do Porto por mar e desembarca no Algarve | Batalha naval do cabo de s. Vicente | O exército liberal, sob o comando do duque da Terceira, ocupa Lisboa | Lei das indeminizações | Código Comercial da autoria de José Ferreira Borges | José Ferreira Borges | Tratado da Quádrupla Aliança assegura apoio dos governos de Espanha, França e inglaterra aos liberais | Batalha da Asseiceira | Pela Convenção de Évora Monte, D. Miguel aceita sair de Portugal | Publicado o decreto extinguindo as ordens religiosas | Decretada a venda dos «bens nacionais»: propriedades dos conventos e da Coroa | Vitória definitiva do liberalismo | O ensino primário público é declarado obrigatório | Uma divisão auxiliar portuguesa entra em Espanha para apoiar os liberais espanhóis na guerra civil contra os absolutistas | A «revolução de Setembro» leva à abolição da Carta Constitucional | É suprimida a maioria dos municípios existentes em Portugal: passam de 831 a 373 | É adoptado o sistema francês dos «liceus» para o ensino secundário | O tráfico de escravos é proibido | O Governo derrota a revolta dos marechais Terceira e Saldanha | O Governo derrota a revolta da Guarda Nacional de Lisboa | D. Maria II jura a nova Constituição votada pelas Cortes Constituintes | O nascimento do fado em Lisboa | Restabelecidas as relações com o Vaticano, interrompidas desde 1834 | O ministro António Bernardo de Costa Cabral restabelece a Carta Constitucional | Almeida Garret começa a publicar Viagens na Minha Terra | Revolta antifiscal da «Maria da Fonte» no Minho | Costa Cabral sai do Governo | Batalha das Linhas de Torres Vedras | Início da guerra civil da «Patuleia» | História de Portugal | Alexandre Herculano publica o primeiro volume da História de Portugal | O Governo de D. Maria II pede a ajuda da Inglaterra e da Espanha, ao abrigo da Quádrupla Aliança, para dominar Junta do Porto | Convenção do Gramido | O pronunciamento militar da Regeneração, comandado pelo marechal Saldanha, derruba Costa Cabral e inicia acordo entre as facçoes liberais para viabilizar a monarquia constitucional | Acto Adicional à Carta Constitucional | Discurso sobre a independência do Parlamento | António Maria de Fontes Pereira de Melo torna-se ministro das Obras Públicas | O Governo regenador é substituído por um Governo progressista histórico | O Município e a Sociedade | Inauguração do primeiro troço de caminho-de-ferro em Portugal, de Lisboa ao Carregado | Epidemia de febre-amarela em Lisboa | Carta aos Eleitores do Círculo de Sintra | São extintos os últimos morgadios | Ligação de Lisboa a Badajoz por caminho-de-ferro | O Diário de Notícias inicia a sua publicação | Governo da «Fusão» entre os partidos Regenerador e Histórico | «Questão Coimbrã» marca a estreia de uma nova geração de intelectuais (a «geração de 70») | Abolida a pena de morte | Código Civil | Tumultos antifiscais da «Janeirinha» levam à demissão do Governo de «Fusão» | Grave crise das finanças públicas | Revolução em Espanha provoca queda dos Bourbon | A escravatura é abolida em todos os domínios portugueses | D. Luís e D. Fernando II recusam a coroa de Espanha | Última revolta militar dirigida pelo marechal Saldanha | Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão iniciam a publicação de As Farpas | Governo de Fontes Pereira de melo, o mais longo da monarquia constitucional | Fundada a Sociedade de Geografia de Lisboa | Crise bancária | Fundação do Partido Progressista | Nova lei eleitoral alarga o direito de sufrágio a 70% dos cidadãos do sexo masculino | Comemoração em Lisboa do tricentenário de Camões | Primeiro congresso do Partido Republicano Português | Conferência de Berlim reconhece direitos de Portugal a territórios em África | Apresentação do programa da «Vida Nova» | Segundo acto Adicional à Carta Constitucional | Recepção em Lisboa aos exploradores africanistas Capelo e Ivens | Morre Fontes Pereira de Melo, líder do partido Regenerador | Eça de Queiroz publica o romance Os Maias | Revolução republicana no Brasil | Ultimato inglês a Portugal | Alfredo Keil e Henrique Lopes de Mendonça compõem A Portuguesa | Golpe militar republicano no Porto | Grave crise financeira | Bancarrota parcial do Estado | Rotação no governo entre o Partido Regenerador e o Partido Progressista | O capitão Mouzinho de Albuquerque captura o Gungunhana, o rei dos Vátuas de Moçambique | Terceiro Acto Adicional à Carta Constitucional | Reforçada a protecção alfandegária à cultura de trigo («lei da fome») | Declaração secreta anglo-portuguesa renovando os antigos tratdos de aliança | Agitação anticlerical | Grande desastre militar português no Cunene, em Angola | João Franco no governo | Assassínio do rei D. Carlos em Lisboa | Tomada do poder pelo Partido Republicano Português | Lei da Separação do Estado das igrejas | Eleições para a Assembleia Constituinte | Constituição da República Portuguesa | Eleição de Manuel de Arriaga como presidente da República | Reconhecimento da República Portuguesa pelas potências europeias | Primeira incursão monárquica comandada por Paiva Couceiro | Partidários de Afonso Costa domina o congresso do Partido Republicano | egunda incursão de Paiva Couceiro | Afonso Costa no poder | Nova lei eleitoral restringe o direito de voto. Pela primeira vez em portugal, é explicitamente proibido o voto de mulheres | Início da I Guerra mundial | O Congresso da República autoriza o Governo a «intervir militarmente» na guerra | O presidente Manuel de Arriaga é forçado a resignar depois de uma revolução em Lisboa ter derrubado o Governo | Afonso Costa regressa ao Governo | Primeiro número da revista Orfeu, com colaboração de Fernando Pessoa | A Alemanha declara guerra a Portgual | O Corpo Expedicionário Português (CEP) começa a chegar à Flandres | Aparições em Fátima | Revolta dos abastecimentos em Lisboa | Sidónio Pais toma o poder | Revisão da Lei da Separação | Destruição do CEP na Batalha de La Lys | Eleição de Sidónio Pais como presidente da República por sufrágio universal masculino | Epidemia de gripe | Armistício põe fim à I Guerra Mundial | Assassínio de Sidónio Pais | «Monarquia do Norte» | História de Portugal | Guerra civil entre monárquicos e republicanos | Revisão Constitucional de 1911 | Portugal regista as maiores taxas de inflação da sua história | O general Norton de Matos é alto-comissário da República em Angola | «Noite sangrenta»: o chefe do Governo, António Granjo, e o fundador da República, Machado Santos, são assassinados | Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegam de avião ao Brasil | Longo Governo de António Maria da Silva | Tentativa de levantamento militar contra o Governo | Cisão no congresso do Partido Republicano Português | Início da transmissão regular de programas radiofónicos, pelo posto CT1AA, de Abílio Nunes dos Santos | Pronunciamento do general Gomes da Costa em Braga leva ao estabelecimento de uma ditadura militar | Fracassa a insurreição armada republicana em lisboa e Porto contra a ditadura militar | O general Carmona é eleito presidente da República | Salazar é nomeado ministro das Finanças e restabelece equilíbrio orçamental | Direito de voto reconhecido às mulheres | Grande crise económica e financeira internacional | Acto Colonial | Salazar é nomeado chefe de governo | Entra em vigor a nova Constituição Política | Criada a Polícia de Vigilância e Defesa do Estado | É publicado o Estatudo do Trabalho nacional | A lei eleitoral concede pela primeira vez o direito de voto aos cidadãos do sexo feminino | Começa o regime do chamado «estado novo» | I Congresso da União Nacional | É proibido o movimento Nacional-Sindicalista | Regime Geral da previdência | Ilegalização das «sociedades secretas», entre as quais a maçonaria | O Governo português auxilia os nacionalistas do general Franco na Guerra Civil de Espanha | São fundadas a Mocidade Portuguesa e a Legião Portuguesa | Atentado contra Salazar | Leis de reforma do exército | Pacto de não agressão entre Portugal e o novo regime espanhol do genereal Franco | Portugal declara-se neutral na II Guerra Mundial (1939-1945) | Concordata com o Vaticano | Grande Exposição do Mundo Português | Timor ocupado pelo exército japonês | Acordo Luso-Britânico concede à Grã-Bretanha o uso de bases aéreas e navais nos Açores a partir de Outubro | Surge o Moviemento de Unidade Democrática | Eleições legislativas boicotadas pela oposição | Campanha do general Norton de Matos, apoiado pela oposição, nas eleições para a presidencia da República | Portugal é um dos fundadores da NATO (Organização do Tratado do Atlântico-Norte) | Prémio Nobel da Medicina para Egas Moniz | Lei do condicionamento industrial | Promulgadas as bases do I Plano de Fomento para 1953-1958 | Portugal é admitido na ONU por voto unânime do Conselho de Segurança | Criada a Fundação Calouste Gulbenkian | Perante a 4ª comissão da Assembleia Geral da ONU, o Estado português recusa-se a reconhecer que administra «territórios não-autónomos» | Início das emissões regulares da televisão pela RTP | Campanha do general Humberto Delgado, apoiado pela oposição, nas eleições à presidência da República | Carta aberta de D. António Ferreira Gomes, bispo do Porto, a Salazar | Salazar demite do governo Marcello Caetano, ministro da Presidência, e Fernando Santos Costa, ministro da Defesa | Revisão constitucional, tornando indireta a eleição do presidente da República | Fuga de Álvaro Cunhal e outros dirigentes do Partido Comunista Português da prisão de Peniche | Portugal é um dos fundadores da EFTA (Associação Europeia de Comércio Livre) | Portugal regista as maiores taxas de crescimento económico da sua história | Conseguida pela primeira vez a escolarização completa ao nível do ensino primário | Henrique Galvão chefia o assalto ao paquete Santa Maria | Início da guerra em Angola com o ataque da UPA à população europeia no Norte da província | As chefias das Forças Armadas tentam depor Salazar, mas falham | Abolido o Estatudo dos Indígenas no Ultramar | A união Indiana ocupa Goa militarmente | Golpe do Movimento das Forças Armadas entrega governo a uma Junta de Salvação Nacional presidida pelo general Spínola | O major Otelo Saraiva de Carvalho toma posse como comandante-adjunto do Comando Operacional do Continente | O coronel Vasco Gonçalves é nomeado primeiro-ministro do governo provisório | Spínola, presidente da República, reconhece o direito das províncias ultramarinas à autodeterminação e independência | Fracasso da minifestação da «maioria silenciosa» a favor do Spínola | Spínola demite-se e é substituído pelo general Costa Gomes | Polémica da «unicidade sindical» | História de Portugal | Spínola exilado depois de falhar golpe – início do chamado Processo Revolucionário em Curso, ou «PREC» | Nacionalização de todas as instituições de crédito e companhias de seguros | Primeiras ocupações de propriedades no Alentejo e Ribatejo | Pacto MFA-partidos | Eleições para a Assenbleia Constituinte: as primeiras eleições livres com sufrágio universal | O «Caso República» | Ocupação da Rádio Renascença | Grande comício do PS na Fonte Luminosa, em Lisboa, exigindo a demissão de Vasco Gonçalves | Levantamento popular do Norte contra o Partido Comunista e a extrema-esquerda | «Documento dos Nove» | Derrota dos «gonçalvistas» na assembleia do MFA em Tancos | Independência de Angola | Confrontos militares em Lisboa levam é liquidação da influência do PCP e da estrema-esquerda no exército – fim do PREC | Indonésia ocupa Timor | Grande quebra da actividade económica | Segundo Pacto MFA-partidos | Promulgada a constituição | Eleição do general Eanes como presidente República | Primeiro Governo constitucional presidido por Mário Soares, líder do PS | Primeiras eleições autárquicas | Pedido formal de adesão de Portugal é Comunidade Económica Europeia (CEE) | Primeiro acordo com o Fundo Menetário Internacional (FMI) para assistência financeira internacional a Portugal | Maria de Lurdes Pintasilgo é a primeira mulher a chefiar um Governo em Portugal | A Aliança Democrática vence as eleições com maioria absoluta: primeira rotação do governo por via eleitoral na história portuguesa | O primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro morre num acidente aéreo | A Assembleia da República vota a extinção do Concelho da República | Primeira revisão da Constituição de 1976 | Governo do «Bloco Central» PS e PSD | Grave crise cambial leva ao segundo acordo com FMI | O ateleta Carlos Lopes é o primeiro desportista português a conseguir uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos | Integração de Portugal na CEE (depois, União Europeia) | Mário Soares é o primeiro civil eleito presidente da República desde 1926 | Portugal volta a convergir com o nível médio de riqueza da Europa Ocidental | Aníbal Cavaco Silva, líder do PSD, consegue a primeira maioria parlamentar absoluta de um só partido | Segunda revisão constitucional | A Assembleia da República aprova o Tratado de União Europeia (dito de Maastricht) com votos do PSD e do PS | O PS vence as eleições legislativas e sucede ao PSD no governo | Exposição Internacional de Lisboa | Referendo em Timor-Leste a favor da independência | Fim da administração portuguesa em Macau | O Euro, a moeda única europeia, substitui o escudo | Grave crise orçamental | Portugal inicia o mais longo processo de divergência económica em relação à União Europeia desde a década de 1930 | História de Portugal